24°C

11°C

final

3 e 4

A Prefeitura de São Paulo está organizando uma reorganização da educação municipal. Com ela, o ensino nas escolas municipais vai ter mais qualidade. Mas antes das mudanças serem implantadas, queremos saber sua opinião. Colabore acessando www.maiseducacaosaopaulo.prefeitura.sp.gov.br
manga

Entre traços, rabiscos e cores os alunos da EMEF José Bonifácio interagem, aprendem e se desenvolvem muito além do desenho. As professoras responsáveis pela oficina de mangá contam como a arte ajuda no aprendizado de outras disciplinas.

Compartilhe:

Discussão - 2 comentários
  1. ANTONIO DIAS NEME

    out 04, 2013  at 15:43

    Boas Práticas – Desenhando um futuro

    Entre traços, rabiscos e cores os alunos da EMEF José Bonifácio interagem, aprendem e se desenvolvem muito além do desenho. As professoras responsáveis pela oficina de mangá contam como a arte ajuda no aprendizado de outras disciplinas.

    “Os olhos, os ouvidos e a língua vêm antes da mão. Ler vem
    antes de escrever e desenhar antes de traçar as letras do
    alfabeto”.
    (MAHATMA GANDHI)

    O desenvolvimento deste trabalho da EMEF José Bonifácio nos possibilitou refletir sobre a importância do desenho infantil para a aprendizagem da língua escrita. Desse modo, quando a criança encontra-se inserida no processo de alfabetização, observamos claramente a redução do seu ato de desenhar. Isto ocorre devido à ênfase dada pela escola a aprendizagem do sistema gráfico convencional, neste caso, a escrita.
    Vale lembrar que não estamos aqui hierarquizando o desenho e a escrita. O que
    pretendemos abordar é que essas duas linguagens, apesar de serem distintas, se
    complementam e são fundamentais para o processo de alfabetização da criança. Sendo assim, é necessário entender que o processo de alfabetização se dá a partir da interação das diferentes formas de expressão e não apenas na aprendizagem de um tipo de linguagem.
    Assim, não dá para falar de um momento tão importante na vida de uma criança, que
    é aprender a escrever, sem pontuar sobre a atuação do professor neste processo. Neste
    aprendizado, o docente tem um papel fundamental de desenvolver as propostas e atividades educativas, as quais valorizem os conhecimentos e as diferentes linguagens já vivenciadas e construídas pela criança, como também, criar um ambiente que possa valorizar as produções gráficas infantis e o desenho produzido por ela.
    Diante do exposto, é necessário repensar sobre a postura de alguns profissionais de
    educação que consideram o desenho realizado por uma criança como uma atividade que não tem muito valor. Entretanto, ressaltamos que o desenho infantil não pode ser considerado como uma atividade para passar o tempo destituído de significados, mas como uma linguagem peculiar à criança, que faz parte do desenvolvimento da sua infância. É importante compreender que é através do desenho que a criança pode se expressar, comunicar e atribuir sentido aos seus sentimentos, pensamentos e sensações.
    Por fim, é essencial que a escola promova a alfabetização em confluência com o
    mundo vivido pela criança, respeitando as suas peculiaridades, as suas brincadeiras, os seus desejos pessoais e principalmente, o seu jeito de aprender. É a partir desse olhar que
    estaremos promovendo o desenvolvimento gráfico infantil e consequentemente o processo de alfabetização da criança.

    PROFESSOR ANTÔNIO DIAS NEME

    Responder

  2. Mari Briza Autran

    out 04, 2013  at 15:43

    Bem interessante esse programa! AMEI!!!!!!!!!! Por falar nisso, nós, seres humanos sabemos desenhar desde a Pré- História…. É que algumas pessoas não praticam e por isso dizem que “não” sabem…. Nada como uma prática para voltar a treinar o lado direito do cérebro: o lado da criatividade!

    Responder

Comente também