24°C

11°C

final

3 e 4

A Prefeitura de São Paulo está organizando uma reorganização da educação municipal. Com ela, o ensino nas escolas municipais vai ter mais qualidade. Mas antes das mudanças serem implantadas, queremos saber sua opinião. Colabore acessando www.maiseducacaosaopaulo.prefeitura.sp.gov.br
Foto: César Ogata/Secom Foto: César Ogata/Secom

Os 18 Centros Educacionais Unificados (CEUs) que vão oferecer cursos da Universidade Aberta do Brasil (UAB), ainda em 2013, já foram credenciados pelo Ministério da Educação (MEC), conforme informou o prefeito da capital, Fernando Haddad, nesta quinta-feira (10/10). Os polos são os locais de encontro para os cursos semipresenciais, e têm uma série de requisitos, como instalações físicas adequadas, tecnologia, funcionários e manutenção para atendimento dos alunos.

Conheça os cursos que serão oferecidos a partir do segundo semestre de 2013

A constituição de um sistema paulistano de formação de professores faz parte do Programa Mais Educação São Paulo, que pretende reorganizar o currículo e a administração da Rede Municipal de Ensino. Os cursos previstos serão oferecidos por universidades públicas nos CEUs, e poderão participar quaisquer interessados, sejam eles da Rede Municipal ou da Estadual.

“Nossos professores terão acesso aos melhores cursos de graduação, mestrado, doutorado das melhores universidades públicas do país. A transformação dos CEUs em centros universitários de formação de professores terá impactos duradouros”, disse Haddad, em evento de apresentação dos resultados da consulta pública sobre o Mais Educação São Paulo. O Programa foi submetido à avaliação da sociedade de 15 de agosto a 15 de setembro.

Parcerias para os cursos

A Prefeitura trabalha agora para estabelecer parcerias com as universidades que ofertam formações semipresenciais. Há cursos previstos pela Universidade Estadual Paulista (Unesp) e pela Unifesp (Universidade Federal de São Paulo). Além disso, conversas com a Universidade Federal Fluminense (UFF), com a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), com a Universidade de São Paulo (USP) e com a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) já estão em andamento para ampliação do catálogo.

O evento desta quinta-feira contou com a presença do secretário-executivo do Ministério da Educação (MEC), José Henrique Paim Fernandes. “Não se faz uma reforma desse porte sem o apoio e a dedicação dos professores da rede. E a formação deles é essencial. Pode contar com nosso apoio em relação à presença da UAB e a à integração com os CEUs”, afirmou.

Confira abaixo a lista dos polos da UAB em São Paulo:

polo_2013_uab

Acesse também:

Devolutiva da consulta pública do Mais Educação São Paulo
Notas técnicas resultantes da consulta
Quadro-síntese com as principais alterações do documento inicial do Programa
Sistematização das colaborações por temas

Compartilhe:

Discussão - 2 comentários
  1. ANTONIO DIAS NEME

    out 11, 2013  at 14:13

    CEUs já estão credenciados como pólos para a oferta de formação via Universidade Aberta do Brasil

    “Segundo o prefeito, um dos principais avanços da proposta é o oferecimento de cursos de formação continuada de professores em 31 Centros Educacionais Unificados (CEUs) da cidade, em parceria com a Universidade Aberta do Brasil (UAB). Haddad informou que já foram feitas as adaptações físicas necessárias nos prédios e que a administração municipal está negociando com universidades quais cursos serão oferecidos. Em 2014, 18 CEUs já devem oferecer formação à professores.
    “O que terá um impacto mais duradouro serão os centros universitários nos CEUs que garantirão a continuidade da reforma. Nós vamos trazer o que há de melhor na formação de professores”, disse. “A UAB existe desde 2007 e São Paulo não tem nenhum curso. Os nossos estarão abertos, inclusive, para os professores da rede estadual também, pois os alunos e os professores também são moradores da cidade.”

    Além de proporcionar a formação superior dos profissionais de Educação ofertando inclusive mestrado e doutorado, a implantação dos pólos da UAB em São Paulo também auxiliará nas seguintes ações:

    - Preparar os profissionais para utilizar as novas tecnologias como recurso pedagógico;
    - Implementar o programa de capacitação dos profissionais da educação sobre a igualdade de gênero e de raça/cor para o combate à discriminação das mulheres e dos negros;
    - Organizar e reforçar o acervo existente na Secretaria, incrementando-o com dados; informações; periódicos; etc, constituindo para isso parcerias com universidades, outras bibliotecas, editoras e instituições governamentais e não governamentais;
    - Considerar as unidades escolares como o locus da formação em serviço;
    - Promover a formação permanente no local de trabalho e reconhecer a importância da interação com a comunidade para a formação profissional.
    O Acordo de Cooperação Técnica prevê a Cooperação Técnico-Operacional entre a Fundação CAPES (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior) e o Município de São Paulo, por intermédio da Secretaria Municipal da Educação, com vistas ao apoio ao Programa de Educação à Distância SPTEC (Universidade Aberta Integrada do Brasil).
    Serão criados 31 Polos da Universidade Aberta do Brasil, instalados em CEUs, oferecendo cursos de: Graduação, Aperfeiçoamento, Especialização e Mestrado. Os profissionais da educação da Rede Municipal de Ensino serão vinculados a um Polo de Formação. Já foram localizados 18 polos e passaram a ofertar cursos em parceria com a UNIFESP:
    •Informática em Saúde (especialização – 490h)
    •Gestão Pública (especialização – 510h)
    •Gestão Pública Municipal (especialização – 510h)
    •Prevenção uso indevido de drogas (especialização)
    E com a UNESP:
    •Pedagogia (graduação)
    •Tecnologia Assistiva, Projetos e Acessibilidade (aperfeiçoamento – 200h)
    •Práticas Educacionais Inclusivas na Área de Deficiência Intelectual (aperfeiçoamento – 200h)

    PROFESSOR ANTÔNIO DIAS NEME

    Responder

  2. Humberto Cosentine

    out 11, 2013  at 14:13

    Haverá possibilidade de dedicação exclusiva, sem perda da remuneração, para cursar mestrado e doutorado?

    Responder

Escreva seu comentário