24°C

11°C

final

3 e 4

A Prefeitura de São Paulo está organizando uma reorganização da educação municipal. Com ela, o ensino nas escolas municipais vai ter mais qualidade. Mas antes das mudanças serem implantadas, queremos saber sua opinião. Colabore acessando www.maiseducacaosaopaulo.prefeitura.sp.gov.br

Uma das medidas do Mais Educação São Paulo, programa que reorganiza o currículo e a administração da Rede Municipal de Educação da capital, é a ampliação da carga horária de português e matemática, a partir da mudança na estrutura das matrizes curriculares que organizam o currículo.

O Ensino Fundamental será dividido, a partir de 2014, em três ciclos com três anos de duração. O primeiro deles será o Ciclo de Alfabetização, seguido do Ciclo Interdisciplinar e, por fim, do Ciclo Autoral. Já no Ciclo de Alfabetização haverá acréscimo de uma hora-aula por semana nos componentes curriculares de língua portuguesa e matemática.

Essa decisão visa à fazer com que o município cumpra o compromisso de garantir a alfabetização das crianças até os oito anos de idade, conforme preconiza o Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa (Pnaic).

No Ciclo Interdisciplinar, também ocorrerá acréscimo no número de horas-aulas para língua portuguesa e matemática. Além disso, a partir do 6º ano, o estudante passará a contar com um professor polivalente e professores especialistas das duas áreas do saber.

Nas Escolas Municipais de Educação Bilíngue para Surdos (Emebs), a primeira língua, ou seja a Língua Brasileira de Sinais (Libras), também terá ampliação do número de horas-aula. Não haverá prejuízo para as horas de língua portuguesa, ministrada como segunda língua, na modalidade escrita.

Para saber mais sobre as alterações nas matrizes curriculares da capital, leia a íntegra da nota técnica abaixo:
 

Nota Técnica nº20 – Programa Mais Educação São Paulo

Matrizes Curriculares

ALTERAÇÕES NAS MATRIZES CURRICULARES NO ENSINO FUNDAMENTAL, NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS E NA EDUCAÇÃO ESPECIAL

O Programa de Reorganização Curricular e Administrativa, Ampliação e Fortalecimento da Rede Municipal de Ensino de São Paulo prevê mudanças importantes na estrutura das diversas Matrizes Curriculares que organizam o currículo nas diversas etapas e modalidades no Ensino Municipal.

O Ensino Fundamental de nove anos é dividido em três ciclos: Alfabetização, Interdisciplinar e Autoral. No Ciclo de Alfabetização há acréscimo de uma hora aula por semana nos componentes de Língua Portuguesa e Matemática, de acordo com o compromisso em criar as condições para garantir a alfabetização das crianças até os 8 (oito) anos de idade, conforme preconizado pelo PNAIC – Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa.

No Ciclo Interdisciplinar ocorrem as maiores mudanças. Além do acréscimo no número de aulas destinadas a Língua Portuguesa e Matemática nos 4º e 5ºanos, o 6º ano passa a contar com a presença de um professor polivalente / professor de Ensino Fundamental I, além dos professores especialistas.

No Ciclo Autoral, a matriz permanece a mesma. As modificações neste ciclo são de caráter curricular.

Nos três ciclos do Ensino Fundamental, o espaço e o tempo do trabalho das Áreas de Integração, serão compostos por professores de Artes, de Educação Física, Professores Orientadores de Sala de Leitura, Professores Orientadores de Informática Educativa e professores de Inglês. Seus trabalhos serão marcados pelo planejamento integrado assim como por ações interdisciplinares com as demais áreas de conhecimento. Suas ações serão organizadas preferencialmente por projetos.

Na Educação de Jovens e Adultos (EJA), considerando o disposto no parecer do Conselho Municipal de Educação – nº 202/10, em sua conclusão, as Matrizes Curriculares se mantêm nas diversas formas de atendimento. A alteração realizada refere-se à organização dos ciclos. No ano de 2014 a SME promoverá discussão sobre a reorientação curricular, bem com a organização e flexibilização de tempos e espaços na EJA.

Nas EMEBS – Escolas Municipais de Educação Bilíngue para Surdos, considerando a especificidade linguística dos estudantes nelas matriculados, a LIBRAS – Língua Brasileira de Sinais, que é considerada a primeira língua e passa a ter um destaque maior no currículo. Amplia-se o número de horas destinadas ao seu ensino e sistematização na Matriz Curricular, sem prejuízo do número de horas destinadas a Língua Portuguesa, ministrada como segunda língua, na modalidade escrita e igualmente importante para a educação dos surdos.

Saiba mais:

Devolutiva da consulta pública do Mais Educação São Paulo
Notas técnicas resultantes da consulta
Quadro-síntese com as principais alterações do documento inicial do Programa
Sistematização das colaborações por temas

Compartilhe:

Discussão - Um comentário
  1. ANTONIO DIAS NEME

    nov 13, 2013  at 22:00

    http://maiseducacaosaopaulo.prefeitura.sp.gov.br/wp-content/uploads/2013/08/logo.gif

    Ensino Fundamental do município ganha reforço de português e matemática

    Uma das medidas do Mais Educação São Paulo, programa que reorganiza o currículo e a administração da Rede Municipal de Educação da capital, é a ampliação da carga horária de português e matemática, a partir da mudança na estrutura das matrizes curriculares que organizam o currículo.
    O Ensino Fundamental será dividido, a partir de 2014, em três ciclos com três anos de duração. O primeiro deles será o Ciclo de Alfabetização, seguido do Ciclo Interdisciplinar e, por fim, do Ciclo Autoral. Já no Ciclo de Alfabetização haverá acréscimo de uma hora-aula por semana nos componentes curriculares de língua portuguesa e matemática.

    “A disciplina de Língua Portuguesa desempenha um papel central no currículo, porque todas as áreas disciplinares dela dependem, sobretudo ao nível da língua falada e escrita. Esta área curricular é a matriz de identidade e suporte de aquisições múltiplas.”

    “A resolução de problemas pode proporcionar momentos bastante enriquecedores na sala de aula, onde a descoberta, e exploração e as interações podem constituir aspectos marcantes. A comunicação e as interações são aspectos indissociáveis no contexto de resolução de problemas.”

    Objetivo é o de proporcionar ao aluno uma formação integral com base no equilíbrio entre as duas grandes áreas do conhecimento.
    A ampliação é ainda mais relevante porque, se afigura o aumento do tempo que os estudantes passam na escola.
    Concordo plenamente, com essa medida nossos alunos ficarão mais tempo na escola e teremos mais profissionais trabalhando em favor de uma educação de qualidade. OS professores atuais terão mais tempo para se dedicarem ao preparo de suas aulas
    Fundamental, que o ensino-aprendizagem englobe aspectos, tanto de Matemática como de Língua Portuguesa, ajustados às necessidades e realidades. Por essas razões, defende-se que o professor não é apenas um meio de transmissão de saberes, mas um agente pedagógico capaz de criar situações e contextos de ensino e de aprendizagem em que a comunicação em geral assume papel preponderante. A Língua Portuguesa não é uma área isolada, está presente em todas as outras áreas de estudo. Defendo que no 1.º Ciclo, deve dar-se prioridade a aspectos que favoreçam e estimulem o enriquecimento linguístico e cultural dos alunos, condição indispensável ao desenvolvimento de competências diversificadas, nas várias áreas, e à obtenção de melhores níveis de desempenho e sucesso escolar.
    Considero principal que o ensino e aprendizagem da Matemática no 1.º Ciclo do Ensino Básico deve integrar novas dinâmicas de sala de aula, novas tarefas, novas metodologias, de modo a que os alunos desenvolvam uma melhor compreensão sobre a Matemática, mas também a apliquem a situações do cotidiano.
    Muitas vezes, a dificuldade com a linguagem escrita e o desenvolvimento da linguagem, leva os alunos a desistirem de superar as suas dificuldades de leitura, sobretudo no que respeita a textos matemáticos, concluindo, na maioria das vezes, que o problema é do texto. No entanto, devido ao insuficiente exercício de leitura e da falha na capacidade de interpretação/compreensão do texto pela criança, não é possível identificar o que está a ser lido, com conhecimentos adquiridos. Os alunos não foram capazes de descobrir, ainda, que a compreensão de um texto invulgar é o resultado de um processo de construção, processo no qual se constroem objetos mentais que vão dar significados aos novos conceitos que estão a ser apresentados. A principal causa da dificuldade de compreensão e redação reside no fato de os alunos não lidarem frequentemente com a leitura, obrigando-os a desenvolver por si uma organização de raciocínio e de armazenamento de informação. Fomento a defesa do aprender a ler, porque só deste modo poderá ser promovido o desenvolvimento das capacidades de leitura e expressão em Matemática, abrindo, assim, caminho para a compreensão de conteúdos matemáticos.
    A ligação da Matemática à Língua Portuguesa, é extraordinariamente importante em contextos escolares, sobretudo no Ensino Básico, uma vez que ambas as disciplinas possuem aspectos comuns. É com base neste pressuposto que a articulação da Matemática e da Língua Portuguesa faz todo o sentido. Assim, o fator comunicação constitui um elemento fundamental para estabelecer a ponte entre a Matemática e a Língua Portuguesa.
    Quanto mais alto o nível a Língua Portuguesa, maior é a capacidade do aluno na resolução de problemas, admitindo que é a maior capacidade de ler, interpretar e compreender os enunciados dos problemas, que explica o fato.
    A aplicação de tarefas que envolvem textos é fundamental na Matemática, porque estimula a aprendizagem, favorece o espírito crítico e cooperativo, e promove a comunicação entre os alunos. O bom domínio de textos a Língua Portuguesa é essencial no desenvolvimento e na aprendizagem da Matemática

    PROFESSOR ANTÔNIO DIAS NEME

    Responder

Deixe uma resposta para ANTONIO DIAS NEME Cancelar resposta