24°C

11°C

final

3 e 4

A Prefeitura de São Paulo está organizando uma reorganização da educação municipal. Com ela, o ensino nas escolas municipais vai ter mais qualidade. Mas antes das mudanças serem implantadas, queremos saber sua opinião. Colabore acessando www.maiseducacaosaopaulo.prefeitura.sp.gov.br
2013-10-10 Programa de Reorganização Curricular e Administrativa, Ampliação e Fortalecimento da Rede Municipal de Ensino ?Mais Educação São Paulo? Cesar Callegari, Secretário Municipal de Educação Foto Cesar Ogata / SECOM

A possibilidade de reprovação dos alunos em algumas matérias, conhecida como dependências ou “DPs”, prevista pelo documento inicial do Mais Educação São Paulo, foi rejeitada pela consulta pública ao documento. O Programa vai reorganizar o currículo e a administração da Rede de Educação paulistana, e foi submetido à análise da sociedade de 15 de agosto a 15 de setembro na internet.

Acesse aqui o quadro-síntese das mudanças após a consulta pública

Segundo o secretário de Educação da capital, Cesar Callegari, a Rede Municipal de Educação demonstrou que a medida seria inviável. “A ideia é sempre acudir o aluno no momento certo. E atuar para que a dificuldade não seja levada adiante”, disse Callegari, em evento da Prefeitura Municipal nesta quinta-feira (10). Para tanto, estão previstos trabalhos de recuperação no contraturno, e, quando a escola desejar e puder, de recuperação de férias.

Outras sugestões foram acolhidas, tais como o fato de as avaliações bimestrais não serem constituídas exclusivamente por provas e testes. As unidades educacionais terão, portanto, autonomia para escolher o processo avaliativo, de acordo com seu projeto político-pedagógico.

Outra questão que gerou dúvidas foi o termo “Trabalho de Conclusão de Ciclo”, nomeando a atividade prevista para a fase final do Ensino Fundamental, entre os jovens. O termo foi modificado no programa e passará a ser “Trabalho Colaborativo de Autoria”.

Participação

Segundo, o prefeito Fernando Haddad, o Programa continuará a ser aperfeiçoado no momento de sua implantação. Para ele, a participação dos educadores, dos acadêmicos, das famílias e dos alunos deu a segurança de que a gestão caminha “na direção certa”.

De 15 de agosto a 15 de setembro, período da consulta pública, este hotsite recebeu 3.052 comentários. Do total, 28,0% foram observações; 23,8%, manifestações de apoio ao programa; 19,9%, sugestões. Críticas e dúvidas foram responsáveis por 18,9% e 9,4%, das intervenções.

Ao todo, houve mais de 66 mil visitas e 168 mil visualizações de páginas no hotsite do Mais Educação São Paulo no mês da consulta à sociedade. Até 15 de novembro, este espaço publicará textos explicativos, análises e vídeos sobre o conteúdo do Programa.

Confira também:

Devolutiva da consulta pública

Notas técnicas resultantes da consulta pública

Sistematização das colaborações por temas

Compartilhe:

Escreva seu comentário